Autor: Tabata Bohlen

CIENTIRINHAS #136

Texto da tirinha: Quadro 1: Imagem de tardígrados ao microscópio. Narrador: O microscópico tardígrado é um dos animais mais resistentes que existem. Ele pode sobreviver ao calor de até 100 graus celsius, à radiação e até mesmo ao vácuo do espaço. Nada pode derrubar esse bicho! Quadro 2: Narrador diz: Bem… quase nada. Há um tardígrado capotado no chão, com a língua de fora. No chão jaz uma garrafinha pela metade da famigerada bebida Corote. As tirinhas são criadas pelo cartunista Marco Merlin do Quadrinhorama e com a co-criação do Dragões de Garagem. Nos acompanhem em nossas redes sociais. Versão em inglês: http://comicorama.tumblr.com/   Dragões...

Leia mais

ECONOMIA FEMINISTA

Uma pesquisa divulgada ano passado mostrou que 85% dos afazeres domésticos são realizados por mulheres, e que se fossem remunerados, seria equivalente à 10% do PIB brasileiro. Mas o que mais essa pesquisa mostrou?

Leia mais

CIENTIRINHAS #135

Texto da tirinha: Quadro 1: Num escritório no fundo do mar, dois peixes engravatados passam e observam sua colega baleia orca, também engravatada, que trabalha em sua mesa, muito séria. Sobre sua mesa, há uma caneca e uma plaquinha escrito C E O. Quadro 2: Um peixe comenta com o outro: – Você sabia que ela virou CEO? Diziam que era impossível um indivíduo evoluir nessa empresa… – Tô de cara! Quadro 3: A orca levanta-se e ergue sua caneca, que estava tampando parte plaquinha e a parte inicial da palavra CETÁCEO. Levando a caneca à boca, ela diz,...

Leia mais

CIENTIRINHAS #134

Texto da tirinha: Quadro 1: Uma girafa recém nascida se esforça para ficar de pé. Um narrador oculto diz: Bebês girafa ficam em pé logo depois do nascimento. Quadro 2: Agora é um potro que luta para ficar de pé. Narrador oculto continua: Com os cavalinhos acontece a mesma coisa. Quadro 3: É a vez de um bebê elefante aprender a ficar de pé. Narrador oculto diz: Até os elefantinhos já saem caminhando por contra própria, mesmo pesando 100 quilos! Quadro 4: Uma mãe canguru está de braços cruzados, impaciente, e ouve seu filhote dizer de dentro de sua...

Leia mais

Vida de Inseto

Quer saber sobre formigas e abelhas que cultivam fungos? Quer saber relações entre esses insetos e os microrganismos? Dá uma olhada no vídeo para saber o que uma pesquisadora da USP e seu grupo de pesquisa descobriram.

Leia mais

Meninas, Mulheres, Cientistas

Neste dia Internacional das Mulheres, o Notícias da Garagem presta uma homenagem às meninas e mulheres sonhadoras que fazem da Ciência sua ferramenta para tornar seus sonhos realidade.

Agradecemos também a todas #MulheresCientistas que contribuíram com a produção desse vídeo, mandando suas fotos 🙂

“Olhe para for a da sua janela. O que você vê?

Talvez você veja outras pessoas. Talvez você veja prédios. Talvez um objeto. Talvez você veja o mar, ou um lago ou o céu.
Independentemente do que tiver do outro lado da sua janela. Em algum lugar, há alguém que faz ciencia, e estuda esta coisa.

Existe uma palavra que talvez defina bem isso: EPISTEMOFILIA.
Do grego: episteme : conhecimento, ciencia
Filia: atração, amor, desejo.
Desejo, atração, amor por conhecimento. Tod cientista é epistemofílico.
Mas além disso, o que faz de alguém “cientista”?

Ser cientista, é estar constantemente acostumado com o desconforto. É mergulhar de cabeça no inexplorado, em busca de respostas. Novas respostas para velhas perguntas. Novas perguntas.
É tentar compreender o mar, a terra e o céu. Do micro, invisível aos olhos , ao macro que nos escapa.
Ser cientista é olhar com fascínio para o passado, e tudo que um dia já foi. Olhar com fascínio para o futuro, e construir tudo que queremos que ele seja.
É ver em cada pessoa, um universo inteiro. E em universo de pessoas, padrões.
É sempre muita, muita, muita pesquisa e muito estudo. Quanto mais estudo, mais há o que se aprender.
E aprendemos.
E olhando ao nosso redor, sabemos que nunca conseguiremos compreender absolutamente tudo. Porque tudo é muita, muita coisa.
Mas cada momento em que aprendemos algo novo, cada descoberta, cada invenção nos faz sorrir.

Olhe para fora da sua janela.

Que ciência você vê?

Você se vê fazendo ciência?
Porque nós vemos.”

Leia mais